Rss

Archives for : Tarô

Programa A Tarde É Show com Nani Venâncio

Virgínia é astróloga e taróloga do programa A Tarde É Show, com a apresentadora Nani Venâncio, na Rede Brasil de Televisão (www.rbtv.com.br). Todas as segundas feiras, à partir das 16h30, você pode acompanhar, ao vivo, o horóscopo da semana para os 12 signos!

astróloga e taróloga do programa A Tarde É Show com Nani Venâncio na Rede Brasil de Televisão Horóscopo semanal

Para saber mais sobre atendimentos com Astrologia, Tarô e outras técnicas, clique aqui!

Para assistir ao horóscopo mensal para o seu signo, clique aqui!

Para conferir as previsões semanais para o seu signo, clique aqui!

Como funciona o Tarô?

sincronicidade jung previsões taro leitura de cartas aleister crowley thoth tarot virginia gaia

“O Louco” e “O Mago” do Tarô de Thoth: magia e sincronicidade para fazer previsões precisas. 

As pessoas adoram o Tarô, e a capacidade desse fascinante oráculo de prever os desdobramentos da vida se manifesta todos os dias, no mundo inteiro, entre pessoas com os mais variados perfis e crenças. Independentemente de qual seja o tema em questão, a experiência da consulta às cartas do Tarô já é, por si só, um evento transformador. Esse universo simbólico tão rico proporciona um profundo mergulho no psiquismo do consulente, tanto para o tarólogo quanto para o próprio consulente. Mas como funciona o Tarô? Ou seja, como esse conjunto de cartas estampando símbolos ancestrais pode proporcionar autoconhecimento e predizer o futuro?

Desvendar o mecanismo de ação que faz com que as previsões fundamentadas nos 78 Arcanos do Tarô – 22 Arcanos Maiores e 56 Arcanos Menores – sejam tão precisas não é tarefa fácil. Estudos científicos já se debruçaram sobre a intuição do futuro de modo geral, mas não existe nada conclusivo.

Uma possível explicação pode ser encontrada na teoria da sincronicidade, de Carl Gustav Jung, criador da Psicologia Analítica. Da perspectiva junguiana, poderíamos entender que a escolha das cartas pelo consulente traduz seu estado psíquico naquele momento e que, ao interpretar os símbolos selecionados, o tarólogo poderá prever as manifestações externas dessas predisposições mentais.

Seja como for, a capacidade de prever do Tarô é um fenômeno bastante observável. “O sucesso é a sua prova”, dizia o ocultista inglês Aleister Crowley, ao propor que seus instruídos prestassem atenção nos resultados concretos de suas práticas mágicas. Essa eficácia fenomenológica é o que tem garantido o uso dos mais diversos decks de Tarô ao longo dos séculos.

Outro ponto sobre o qual não pairam dúvidas é que interpretação das cartas exige uma combinação bem equilibrada de técnica, conhecimento profundo de simbologia e aplicação da intuição. Do mesmo modo que é um grande erro acreditar que ser tarólogo envolve apenas o uso de recursos lógicos, é equivocado tratar a leitura do Tarô como mero exercício da intuição ou, como alguns querem fazer crer, de recursos paranormais.

Mas como funciona o Tarô? Funciona como uma linguagem que o bom tarólogo – munido de técnicas adequadas de tiragem, intimidade com símbolos que acompanham a humanidade desde tempos imemoriais e uma intuição estimulada pela sincronicidade – sabe ler e aplicar à situação do consulente para oferecer a orientação necessária. Uma linguagem que, refletindo o mundo, também reflete você.

Como costumo dizer aos alunos dos meus cursos de formação em Tarô, a cada consulta, partimos da condição do Arcano número zero, “O Louco” para, ao final da leitura, chegar ao estado do Arcano I, “O Mago”. Enquanto o Louco personifica a inspiração e a capacidade de desbravar o desconhecido que proporciona o encontro entre o tarólogo e consulente em um momento mágico, o Mago simboliza o domínio dos quatro elementos da natureza – Ar, Água, Terra e Fogo. E é quando o consulente sai da consulta como o Mago que a ela atinge sua plenitude: o consulente está pronto para, exercendo o livre-arbítrio, escolher os melhores caminhos para sua jornada evolutiva pela vida.

Para saber mais sobre Tarô, clique aqui.

Para saber mais sobre os meus atendimentos com Tarô, Astrologia e outras técnicas, clique aqui!

Quer estudar Tarô? Veja informações sobre o meu Curso de Formação em Tarô aqui!

Astrologia ou Tarô: o que é melhor para você?

mapa astral taro astrologia baralho cigano virginia gaia

Entre pessoas que ainda não fizeram consultas de Astrologia e Tarô, ou que experimentaram só uma dessas técnicas, é comum a dúvida sobre qual delas é a mais adequada a suas necessidades. Para entender como aproveitar ao máximo as possibilidades e os recursos que a Astrologia e o Tarô oferecem, vale a pena discutir as suas diferenças, já que ambas são ferramentas incríveis para autoconhecimento, orientação e previsão.

Partindo da posição dos astros e suas movimentações diárias do céu, a Astrologia oferece uma espécie de bússola para entender padrões inconscientes e ciclos da vida. O mapa astral, que reflete o céu no momento de nascimento, reflete tendências que acompanham o indivíduo por toda a vida, em diferentes áreas: trabalho e carreira, amor e relacionamento, finanças e investimentos, casa e família, saúde e espiritualidade, entre outras. É, em suma, um retrato de quem você é, do seu jeito de ser, das suas qualidades, seus talentos, suas perspectivas na vida — e também as áreas em que você tem mais dificuldade, é claro. Por sua vez, a leitura de Tarô – esse fascinante oráculo composto por cartas, ou lâminas –, apesar de também  abranger todas as áreas da vida e também ser um instrumento de autoconhecimento, espelha o momento presente. Assim, podemos dizer que a Astrologia ajuda você a identificar quem você é, enquanto o Tarô mostra como você está em determinado momento da sua vida.

A natureza das previsões de cada uma das duas técnicas também é bastante distinta. A Astrologia, por meio da análise dos trânsitos sobre o mapa natal, da revolução solar e das progressões secundárias, é muito precisa com datas: é possível apontar meses ou até semanas favoráveis ou desfavoráveis para diferentes áreas da vida. É também possível antever, com muita assertividade, quando ocorrerão acontecimentos importantes, como mudança de trabalho, de casa ou até casamento. O Tarô, por sua vez, é mais imediatista, já que suas previsões costumam compreender um período de até seis meses, em média. Por outro lado, o Tarô é muito mais detalhista: com ele, é possível responder perguntas específicas. Pode-se, por exemplo, comparar diferentes oportunidades profissionais, apontar as possibilidades de entendimento em uma relação afetiva e até revelar o comportamento de outras pessoas em situações de interesse do consulente.

É por isso que costumo dizer que as duas técnicas são igualmente precisas, mas atuam de maneiras diferentes e complementares. A decisão sobre fazer uma consulta de Astrologia ou de Tarô depende, fundamentalmente, dos objetivos da consulta e das necessidades do consulente. Há também quem opte por uma consulta combinada, unindo Astrologia e Tarô. Nesses casos, geralmente recomendo começarmos com a interpretação do mapa astral e suas previsões para posterior complementação com as cartas, no detalhamento de situações complexas.

O universo das técnicas e terapias holísticas é muito rico e variado, oferecendo um amplo leque de opções. Para promover a melhor adequação às suas necessidades na consulta, procure um profissional que possa abordar as diferentes possibilidades de forma transparente e isenta. Se você estiver em dúvida sobre a técnica mais apropriada para o seu caso, explique ao profissional o que você espera da consulta, para que ele possa orientá-lo.

Para saber mais sobre Tarô, clique aqui.

Para saber mais sobre Astrologia, clique aqui.

Para saber mais sobre os meus atendimentos com Tarô, Astrologia e outras técnicas, clique aqui!

Astrologia e relacionamentos: será que o amor pode estar escrito nas estrelas?

Sinastria Mapa Astral Mapa Astral de Relacionamento Relacionamento Coaching de Relacionamento Compatibilidade de Signos Virginia Gaia

Idade, profissão, lugar onde mora e, então, signo. Essas são, na maior parte das vezes, as primeiras perguntas feitas a alguém na hora da paquera. Sem conhecimento técnico de Astrologia, a informação sobre o signo – ou melhor, o signo solar, pois o que vulgarmente chamamos de signo se refere à posição do Sol no Mapa Astral – é logo revestida de uma série de estereótipos do senso comum em relação aos nativos dos diferentes signos do zodíaco. Frequentemente, o que se segue a partir daí é uma rápida pesquisa no Google que levará a artigos que, sem fundamento nenhum, falam sobre possíveis combinações e níveis de compatibilidade entre signos.

“Será que nós dois combinamos?”. Para essa pergunta, um esclarecimento importante: a Astrologia de relacionamento não se resume a respostas binárias de “sim” ou “não”. Aliás, é impossível fazer qualquer previsão sobre um relacionamento com base somente no signo solar de cada um dos parceiros. O único método que tem embasamento técnico para analisar um relacionamento é chamado de Sinastria, que consiste na elaboração dos mapas astrais de cada um dos parceiros, sua combinação e também na preparação de um terceiro mapa da relação.

Para quem olha de fora, pode até parecer antipático dizer que, para analisar uma relação, nós, os astrólogos, precisamos dos dados de nascimento (data, horário e local) de ambos os parceiros e da elaboração de diversos cálculos, mas isso é coerente com a complexidade das relações humanas.  Em uma Sinastria, todos os planetas, signos e pontos que compõem o universo individual de cada um dos parceiros são avaliados em função do outro, permitindo conclusões muito mais ricas do que um simples “sim” ou “não”.

Afinal, se relacionamentos são cheios de nuances e complexidades, a representação na Astrologia não poderia ser diferente. É necessário avaliar além do Sol (manifestação do ego), a Lua (emoções), Marte (desejo e ação), Vênus (prazer e sedução), entre muitos outros elementos do Mapa Astral de cada parceiro e do Mapa Astral do Relacionamento. A Sinastria mostra o que cada parte da relação “coloca” na vida da outra parte e como se dá essa interação. É possível identificar, por exemplo, uma grande afinidade sexual ou uma dificuldade de comunicação entre os parceiros. Também é possível saber se os parceiros se ajudam na carreira, nas relações familiares, nas amizades, entre outros aspectos da vida. O Mapa Astral da Relação mostra a identidade da própria relação – ou seja, o “tom” da vida em comum.

A Sinastria de Relacionamento, da qual faz parte o Mapa Astral da Relação, é um estudo bastante aprofundado e um instrumento muito útil para a orientação da vida do casal. Mostra, fundamentalmente, os pontos fortes e os desafios do relacionamento. Não é uma consultoria astrológica adequada para quem quer saber se uma nova relação se tornará séria ou não. Para isso, existem outras técnicas herméticas, como, por exemplo, a consulta de Tarô ou Baralho Cigano, que dá respostas mais objetivas sobre a evolução imediata de um relacionamento.

É difícil dizer se o amor está escrito nas estrelas, mas é fato que a Sinastria de uma relação profunda e duradoura mostrará muitos pontos de convergência. E isso frequentemente vai muito além do signo solar.

Para saber mais sobre Astrologia, clique aqui!

Para saber mais sobre técnicas holísticas de coaching de relacionamento e sexualidade, clique aqui!

Para mais informações sobre atendimentos de Astrologia pessoal, Sinastria, Tarô e outras técnicas, clique aqui!

Entrevista para o Correio Braziliense sobre análise e previsões para 2018

astrologia tarô previsões 2018 virginia gaia

O jornal Correio Braziliense, principal diário do Distrito Federal, preparou uma matéria especial, com destaque na capa do jornal, sobre as tendências e previsões para 2018. Fui entrevistada para falar sobre o ano sob a ótica do Tarô e também fui responsável por fazer a análise das principais efemérides astrológicas e suas influências coletivas ao longo de 2018.

Confira a reportagem completa, clicando neste link aqui

 

 

A abordagem holística da sexualidade

magia sexual sexologia holística Tarô Astrologia Virginia Gaia

Tarô de Thoth: a alquimia sexual está representada do encontro do parceiro à fusão de fluidos corporais. Nos arcanos “Os Amantes” e “A Arte”, a lança e a taça aludem aos genitais, representando polaridades arquetípicas na jornada evolutiva do indivíduo. 

É difícil estabelecer o ponto exato na história da humanidade no qual se separou a sexualidade da ideia de autorrealização.  O que a arqueologia comprova é que, na pré-história e na Antiguidade, não foram poucas as culturas que uniram o sexo a práticas místico-religiosas para elevar o espírito. Em culturas nas quais não havia tantas especialidades nem o nível de desenvolvimento científico que temos atualmente, eram os esotéricos que acumulavam as funções que hoje damos a um sem número de especialistas que trabalham, de forma direta ou indireta, com a sexualidade humana.

Depois de anos e anos de repressão e de conflito com a religião, não é de se estranhar que a ressurgência dos estudos sobre a sexualidade acontecesse em meio à comunidade médica. Foi com o fundador da psicanálise, Sigmund Freud, e o seu conceito de libido que resgatamos o papel da sexualidade para o bem estar psíquico e emocional do indivíduo. Mas engana-se quem acha que durante o período dominado pelos tabus religiosos não se fizeram estudos sobre a relação entre o sexo e a consciência.

Longe das igrejas, aqueles que questionavam dogmas sempre estudaram a sexualidade. Sob o véu de ordens secretas e seitas restritas a iniciados, o sexo teve amplo espaço de discussão entre os estudiosos de magia e ocultismo. Buscando referências no Tantra e suas influências no Hinduísmo, Budismo e Taoísmo, os ocultistas ocidentais conectaram os dois hemisférios para organizar esse conhecimento em prol do bem-estar e do desenvolvimento psíquico. Assim surgiu a conexão entre os Chakras, os centros por onde circula a energia vital tântrica, e a Cabala, que remete ao esoterismo judaico.

Seguindo princípios do Hermetismo, os magos ocidentais também estabeleceram correspondências entre linguagens simbólicas, como a Astrologia e o Tarô, com o desejo e a resposta sexual humana. Assim, encontramos diversos conceitos sobre o uso da sexualidade como meio para expansão da consciência em um conjunto de autores ligados às Ciências Ocultas. Em meio a nomes ligadas à Ordem Rosacruz, como Pascal B. Randolph, à Teosofia, como Helena Blavatsky e Ida Craddock, e autores oriundos da Ordem Hermética da Aurora Dourada, como Dion Fortune e Israel Regardie, as bases da magia sexual são firmadas em uma abordagem que é multidisciplinar por excelência. Mais tarde, o controverso ocultista inglês Aleister Crowley desenvolveria seu próprio sistema mágico-sexual e, entre outras coisas, retrataria estágios do ato sexual em seu Tarô de Thoth. Na mesma época, Austin Osman Spare criaria o conceito de “nova sexualidade”.

É interessante observar que esse resgate de conhecimentos milenares, ocorrido sobretudo entre os ocultistas do século XIX, propagou conceitos que somente receberiam atenção da ciência anos depois. Muito antes da publicação dos relatórios de Alfred Kinsey, considerado por muitos o pai da Sexologia, os magos já propagavam a necessidade da descriminalização de práticas como a masturbação e a homossexualidade. Bem anteriormente a William Masters e Virginia Johnson escreverem sobre a resposta sexual humana, os místicos já haviam relacionado estados de consciência a estágios do desenvolvimento sexual, sensações e fluidos corporais. Mesmo sem o viés científico da fisiologia de hormônios e neurotransmissores, os conceitos baseados em polaridades e arquétipos da magia sexual são de grande valia para trabalhar melhor a sexualidade em homens e mulheres.

Falar então sobre a necessidade de uma abordagem holística para a sexualidade é olhar o indivíduo como um todo. É perceber as conexões entre corpo e psique em um nível profundo, facilitando o caminho terapêutico para aqueles que buscam uma vida afetiva mais prazerosa e feliz – até porque um indivíduo que se conhece bem e está conectado com sua Verdadeira Vontade se relaciona melhor com as pessoas em geral e com seu parceiro afetivo em particular. E significa também associar o embasamento científico da Sexologia moderna a técnicas milenares de expansão da consciência, integrando elos que se dispersaram ao longo da história para gerar resultados mais efetivos.

Para ler mais sobre as técnicas holísticas que integram Sexualidade e Espiritualidade, clique aqui

Para saber mais sobre as sessões de Coaching de Relacionamento & Sexualidade, clique aqui!

Qual o melhor baralho ou deck de Tarô?

Curso de Formação em Tarô tarólogo taróloga oraculo leitura de cartas

Para quem quer interpretar as cartas do Tarô e, assim, tornar-se tarólogo, o mercado oferece baralhos ou decks de todos os tipos. Dos mais tradicionais, como o Marselha, aos inspirados nas histórias em quadrinhos, o tarólogo pode encontrar as mais diversas opções de conjunto de cartas. Diante de tanta variedade, fica a dúvida: qual o melhor baralho ou deck?

A verdade é que não há uma resposta pronta a essa pergunta. A escolha do baralho é uma das decisões mais pessoais do tarólogo. Há, inclusive, aqueles que optam por utilizar diferentes decks, colecionando baralhos. Mas há alguns itens a se considerar na hora de eleger o seu deck, pois a escolha das cartas pode influenciar significativamente na assertividade das previsões.

Em primeiro lugar, a simbologia do deck precisa estar alinhada às mais profundas crenças e visões pessoais do tarólogo. Não adianta usar um tarô com orixás ou anjos, por exemplo, se você não está familiarizado com esses sistemas. A arte e a estética também são importantes: as cartas precisam dialogar com a percepção sutil de quem vai interpretá-las. Se o deck apresentar palavras-chave nas cartas, é importante também estar atento a esse detalhe, pois às vezes uma palavra mal colocada pode confundir a interpretação.

Por isso, conhecer e pesquisar um pouco da história e dos autores de cada deck é tão importante. De qualquer forma, como orientação geral, parta de um princípio básico: se você é um adepto dos estudos Herméticos, descarte imediatamente decks que tragam alterações na estrutura geral do Tarô (22 Arcanos Maiores e 56 Menores), pois é a partir dessa base que podemos traçar as correspondências com a Cabala Hermética. Também desconsidere aqueles que só trazem Arcanos Maiores, já que ignorar os Arcanos Menores significa limitar o seu universo como oraculista.

De qualquer forma, para começar, escolher uma opção entre os decks mais populares e utilizados é uma decisão sábia. Estes carregam a credibilidade de anos de uso por tarólogos ao redor do mundo. Afinal, se até os artistas começam com a arte figurativa para depois buscar a abstração, adotar uma postura mais tradicional nas artes divinatórias, em um primeiro momento, talvez seja de grande ajuda. Por fim, há sempre aquela dica que transcende o racional: escolha um deck pelo qual você se apaixone! O amor ainda é a melhor receita para transformar qualquer ofício em arte.

Quer estudar Tarô? Veja informações sobre o meu Curso de Formação neste link aqui!

Curso: Lições de Marte e Vênus sobre Amor e Sedução

eros psique marte venus palestra curso sexualidade holística espiritualidade astrologia tarô amor relacionamento

De que o amor é importante, não há dúvida nenhuma, mas como estabelecer uma relação afetiva saudável e prazerosa? E como manter acesa a chama de um relacionamento estável? Muitas pessoas se sentem inseguras na hora da conquista e sedução e acabam adotando crenças limitantes que destroem a autoestima e dificultam o desenvolvimento de relacionamentos sólidos e felizes. Outras, já com uma relação estabelecida, não sabem como recuperar a paixão e o desejo do início do relacionamento.

De uma perspectiva mais ampla, isso não chega a surpreender em um momento como o atual, em que o papel da mulher na sociedade e as formas de amar passam por muitas mudanças. Hoje, mais do que nunca, é importante entender alguns princípios que regem o amor e a sedução. Na mitologia greco-romana, o relacionamento de Marte, o deus da guerra e do desejo sexual, com Vênus, a deusa da beleza e do amor, era uma referência para diversas reflexões sobre o papel das relações afetivas na vida das pessoas. Resgatar a referência do casal mais sexy da mitologia é um caminho seguro para promover uma reconciliação pessoal com esses princípios, que é fundamental para ter relacionamentos melhores.

Partindo da mitologia e suas representações na Astrologia e no Tarô, este curso rápido traz lições valiosas sobre a arte de conquistar, amar e ser amada e resgatar a essência do feminino e do masculino em si mesma, elementos essenciais para uma vida mais feliz.

O programa, destinado ao público feminino, tem 2 (duas) horas de duração, com conteúdo teórico e vivência ritualística, e inclui os seguintes tópicos:

– Breve contextualização da mitologia greco-romana e suas correspondências com a Astrologia e alguns símbolos do Tarô

– Marte: o deus da guerra, da conquista e do desejo sexual, suas qualidades e seus defeitos

– Vênus: a deusa do amor e da beleza, suas qualidades e seus defeitos

– Cupido: o filho de Marte e Vênus, chamado de Eros pelos gregos, é o deus do erotismo

– Psiquê: a deusa da alma

– Amor e sedução entre Marte e Vênus: o que podemos aprender com os pontos altos e baixos desse relacionamento?

– O casamento do Cupido com Psiquê e a lição de que o erotismo é o alimento da alma

– Dicas de amor e sedução inspiradas nas histórias desses mitos e na experiência com o Tarô e a Astrologia

– Vivência ritualística em grupo

O curso, com aula única e duração de 2 horas, pode ser presencial ou online, em turmas de até quatro alunos ou em formato de aula particular. Para mais informações, entre em contato pelo telefone e WhatsApp (11) 99970-2260 ou pelo e-mail contato@virginiagaia.com.br

Curso de Formação em Tarô

tarô tarot thoth curso de formação em Taro tarologa tarologo Virginia Gaia templo AyasofiaPara quem deseja conhecer melhor a arte da leitura de cartas para finalidades divinatórias ou de autoconhecimento, há o Curso de Formação em Tarô. O conteúdo é direcionado tanto para quem deseja utilizar o Tarô para o seu desenvolvimento pessoal como para aquele que quer atuar profissionalmente como tarólogo. Com duração de 2 meses e meio (são 10 encontros ao todo), o curso de Tarô tem o diferencial de oferecer a oportunidade de um estágio supervisionado antes da obtenção do certificado.

Ser tarólogo requer conhecimento, técnica e uma formação multidisciplinar. Dominar o significado das 78 cartas do Tarô (os 22 Arcanos maiores e os 56 menores), com toda sua riqueza simbólica e conhecer diferentes métodos de tiragem representa apenas o ponto de partida para essa jornada, que também demanda o estudo de disciplinas correlatas, como  Astrologia, Numerologia e Cabala. Por isso, o curso de Tarô é estruturado de modo a oferecer ao aluno conhecimentos iniciais nessas áreas.

O programa tem 10 (dez) aulas com duração de 2 a 2,5 horas cada uma e inclui:

• A origem do Tarô: influências e hipóteses para o surgimento do conjunto de cartas

• A função do tarólogo

• O exercício da intuição

• Considerações sobre a escolha do baralho ou deck

• Tarô e Cabala: as cartas nas esferas e caminhos da Árvore da Vida

• Noções de Astrologia aplicadas ao universo do Tarô

• Os Arcanos Maiores do Tarô: uma jornada de autodesenvolvimento

• Arcanos Menores do Tarô: Naipes e Elementos

• As Cartas de Ás a Dez: os detalhes da história pessoal do consulente

• As Cartas da Corte: os agentes, personagens e personalidades do Tarô

• Métodos de Tiragem:

a) Métodos clássicos: três cartas, tiragem em cruz, ferradura, peladán, cruz celta, mandala astrológica, entre outras.

b) Criação dos próprios métodos de tiragem

• Rituais: preparação pessoal, das cartas e do ambiente

As aulas podem ser presenciais (na região da Av. Paulista, em São Paulo) ou à distância (online). O Curso de Formação em Tarô pode ser realizado em turmas de até quatro alunos ou no formato de aulas particulares. Para mais informações, entre em contato pelo telefone e WhatsApp (11) 99970-2260 ou pelo e-mail contato@virginiagaia.com.br 

contato@virginiagaia.com.br

Curso particular online, com apostila e certificado: R$ 1.250. O valor pode ser parcelado pelo PagSeguro em até 12 vezes de R$ 125,50.




Aproveite e assista uma leitura de Tarô feita ao vivo para o programa A Tarde É Show com Nani Venâncio, na Rede Brasil de Televisão, clicando aqui!.

Quer ser tarólogo, mas não sabe qual baralho ou deck escolher? Leia sobre essa importante decisão neste artigo aqui!

Para ler todos os meus artigos, entrevistas e matérias sobre Tarô? É só clicar aqui

Entrevista sobre astrologia para TV e Rádio

Estou mais uma vez no blog do colunista social Daniel Oliveira falando um pouco sobre como é levar os temas com os quais trabalho para a TV, o rádio e, em breve, para o YouTube.

virginiatv

Para conferir a entrevista na íntegra, clique aqui!